Projeto Guaíba Livre II
Remoção de Obstáculos do Rio Guaíba
Danilo Chagas Ribeiro

O Projeto Guaíba Livre foi criado pelo Popa e realizado em parceria com o Veleiros do Sul e a Superintendência de Portos e Hidrovias do Estado do Rio Grande do Sul, com o objetivo de remover obstáculos à navegação do Rio Guaíba no final de 2003. Em novembro de 2004 o Projeto foi reeditado tendo-se removido aproximadamente 20 árvores do rio.

No ano passado removemos diversos obstáculos como mangrulhos, estacas, tubulações de dragagem e várias árvores. Em um galho de uma das árvores havia uma pá de hélice encravada. É o testemunho do sério risco que as árvores encalhadas representam à navegação no rio, e tornou-se o símbolo do Projeto Guaíba Livre.

 

Etapas do Projeto Guaíba Livre II

Em 12 de março de 2004 foi feita varredura preliminar para a marcação das coordenadas das árvores. O Guaíba estava verde pela ocorrência de algas. Nesta operação utilizei recursos gentilmente cedidos pela Bourscheid S.A. Engenharia e Meio Ambiente, que atua também em operações de engenharia hidroviária e tem se empenhado na segurança da navegação no Guaíba.

Desde então fez-se contatos com a SPH para a utilização da tão disputada draga. Um ofício foi encaminhado pelo Popa requerendo a execução da obra.


Em 7 de novembro, já com a draga disponibilizada pela SPH, o Comandante Júlio Ferreira/CDJ, o Capitão Am. Eduardo Secco Hofmeister/VDS e eu marcamos outros obstáculos informados pelos membros do Grupo Popacombr e conferimos as posições lidas em Março.

A busca foi efetuada durante todo o dia 7 na lancha Aruanã do Cmte Ferreira que, em notável gesto de altruísmo, bancou a missão.


As coordenadas dos diversos pontos foram reunidas e plotadas na carta do rio, e em 10 e 11 de novembro, a bordo do Phantasy, conduzi o comboio da SPH (draga Sto Amaro, Rebocador São Sepé e o batelão Rio Gravataí) até os locais das árvores. Os engenheiros José Carlos Martins (Diretor) e Orlando Machado Sanches (Chefe de Divisão) da SPH fiscalizaram as obras.

 

Operação:

O rio baixo favoreceu a localização das árvores encalhadas. Neste ano contamos também com ajuda extra: o radar da Aruanã, e a perícia do Comandante Julio Ferreira (médico acostumado à utilização de ecógrafo). Como o radar detecta os alvos pela reflexão das ondas eletromagnéticas enviadas, foi surpreendente ver até taquaras (bambus) na tela do radar da Aruanã. O truque para fazer o radar operar assim, diz o comandante Júlio Ferreira, é manter o ganho alto, quase saturando a tela, e um range bem baixo.

 

Com as coordenadas dos obstáculos gravadas no GPS, criei uma rota e o comboio foi conduzido a cada árvore. Choveu na maior parte do dia.

A maioria das árvores deslocou-se nestes 8 meses. O Capitão Am. Eduardo Hofmeister (Ferrugem) registrou os deslocamentos das árvores em relação à lista de Março e plotou os novos pontos de ancoramento.

Em certos locais, com o comboio já aproximando-se do local, pensei que havia errado na marcação da coordenada: algumas árvores só puderam ser vistas a menos de 20m. E isso que quase nem tinha onda. Uma vez içadas pela caçamba da draga, mostravam seu enorme tamanho.


Além das árvores mapeadas, algumas outras foram encontradas e removidas. Duas ou três árvores não puderam ser retiradas devido à baixa profundidade do local (menos de 1,40m). Estão lá do outro lado, na margem Oeste, entre Ponta do Melo e o Gas˘metro (#282 ou 310). No ponto 286 (veja carta abaixo) há uma bóia amarela não retirada por falta de confirmação de autorização.

Atenção: É possível que existam árvores encalhadas com galhos a poucos centímetros abaixo da lâmina d'água. Fique atento portanto ao navegar em águas com menos de 2 metros.
Em caso de abalroamento, não esqueça de marcar as coordenadas e enviá-las para info@popa.com.br.

 

 

Agradecimentos:

Superintendência de Portos e Hidrovias, especialmente aos Diretores Daniel Lena Souto e José Carlos Martins e aos Chefes de Divisão Orlando Machado Sanches e Hermes Vargas dos Santos.
Veleiros do Sul, na pessoa do Comodoro Manfred Flöricke Alibi/VDS.
Comandante Júlio Ferreira, Aruanã/CDJ.
Capitão Am. Eduardo Hofmeister, Igaraçu/VDS.
Bourscheid Engenharia, Cmte Cylon Rosa Neto Raio de Luar/VDS, Cmte Aristóteles Bourscheid Tatinics/CDJ.
Membros do Grupo Popacombr.
A todos que incentivaram e colaboraram de alguma forma com a realização do Projeto Guaíba Livre II.

Saiba mais: concepção e realização do Projeto em 2003

 

 

Envie seus comentários ao popa.com.br:

Seu e-mail:



CLICK APENAS UMA VEZ